VIGÍLIA DE NATAL – 24 de dezembro

VIGÍLIA DE NATAL – 24 de dezembro

“Hoje sabereis que o Senhor virá, e amanhã vereis a sua glória.”

Nos tempos antigos preparavam-se os fiéis para as grandes solenidades, passando a noite anterior, ou parte dela, em oração e cânticos, jejuando e fazendo penitência. Chamaram-se vigílias a essas reuniões noturnas e esse nome foi conservado, quando, mais tarde, essas práticas de penitência foram feitas durante o dia que precede à festa. Na medida de nossas condições pessoais e por conseguinte, da participação a essas penitências, colheremos também frutos mais ou menos abundantes destas solenidades.

Maria Santíssima guiou os nossos passos durante o Tempo do Advento. É justo que reunidos em sua igreja, junto ao presepe, esperamos com ela O Salvador.

Entre todas as vigílias, as de Natal e Páscoa tem sido sempre as mais caras ao espírito cristão por serem as mais significativas para a vida religiosa e espiritual. Eis os motivos porque os fiéis, nestes dias, não devem perder o ensejo de assistir ao santo Sacrifício da Missa.

Com as palavras com que Moisés anunciou ao povo, no deserto, a chuvá do maná (pão, que era figura da Eucaristia), anuncia-nos a Igreja, a vinda do Senhor.

Este Senhor é o verdadeiro Maná, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, nascido da Virgem Maria por virtude do Espírito Santo. No Ofertório da Santa Missa vamos ao encontro do Rei da Glória e Ele se revelará a todos os corações na santa Comunhão. E se assim, de ano em ano, O esperamos com alegria como Redentor, também poderemos esperá-Lo com muita confiança como Juiz que há de vir. É o que pedimos na Oração.

Leia a epístola de São Paulo aos Romanos (Rom. 1, 1-6)

Leia o evangelho de S. Mateus (1, 18-21).